DOMINGOS E BAIANO ALEGAM QUE DINHEIRO FOI “EMPRéSTIMO” DE SAVI
29.05.2018

Os deputados José Domingos Fraga (PSD) e Baiano Filho (PSDB), denunciados na Operação Bereré, alegaram que os valores que receberam do empresário Claudemir Pereira, sócio da Santos Treinamento, foi a título de empréstimo concedido pelo deputado Mauro Savi (DEM) – preso por conta da operação.

 

Os dois prestaram depoimento ao Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), no mês passado. A operação apura esquema de fraude, desvio e lavagem de dinheiro no âmbito do Detran-MT, na ordem de R$ 30 milhões, que operou de 2009 a 2015.

 

Segundo as investigações, parte dos valores repassados pelas financeiras à EIG Mercados por conta do contrato com o Detran retornava como propina a políticos e empresários, dinheiro esse que era “lavado” pela Santos Treinamento – parceira da EIG no contrato - e por servidores da Assembleia, parentes e amigos dos investigados.

 

Baiano Filho e José Domingos, assim como os deputados Romoaldo Júnior (MDB), Nininho (PSD) e Wilson Santos (PSDB), são acusados de terem recebido propina para não fiscalizar o contrato milionário da EIG com o Detran-MT.

 

No caso de Baiano Filho, a acusação narra que o empresário Claudemir Pereira emitiu três cheques, de R$ 10 mil cada, a Wilson Medrado, assessor do político.

 

Os cheques foram sacados nos dias 13 e 14 de outubro de 2014. Em novembro do mesmo ano, outros cheque de R$ 5 mil de Claudemir foi sacado pelo assessor de Baiano Filho.

 

Solicitei ao deputado Mauro Savi um empréstimo para sanar meus problemas financeiros, no período em que me licenciei do cargo para campanha eleitoral do ano de 2014

Já José Domingos foi acusado de ter recebido um total de R$ 100 mil de propina por meio de um depósito de R$ 50 mil e de uma transferência de mesmo valor, feitas por Claudemir na conta de seu então assessor Jorge da Graça, em fevereiro de 2014.

 

Dificuldades financeiras

 

No depoimento, Baiano Filho confirmou que foi o beneficiário dos valores recebidos pelo seu assessor e justificou que o dinheiro foi emprestado por Mauro Savi.

 

“Me recordo que solicitei ao deputado Mauro Savi um empréstimo para sanar meus problemas financeiros, no período em que me licenciei do cargo para campanha eleitoral do ano de 2014. Posteriormente, eu quitei o empréstimo parceladamente com meus vencimentos. Não me recordo quem efetuou a entrega dos cheques ao interrogando”.

 

Quanto ao cheque de R$ 5 mil, o parlamentar disse acreditar que tenha sido repassado pelo seu chefe de gabinete Wilson Medrado ao assessor Luiz Otávio, “e que trata-se de recursos do empréstimo que fez com o deputado Mauro Savi”.

 

Baiano disse que conhece Claudemir Pereira, emissor dos cheques, mas que nunca manteve qualquer relação com o mesmo.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade