SELEçõES NãO DEVEM USAR CENTROS DE TREINOS EM CUIABá
22.05.2014

COT da UFMT está com 70% da obra concluída e tem chances de ser utilizado na Copa

Dos dois Centros Oficiais de Treinamento (COTs) esperados para a Grande Cuiabá durante a Copa do Mundo, apenas a unidade situada na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) poderá ser usada – ainda que parcialmente – pelas oito seleções que irão jogar na Arena Pantanal, em junho.

A unidade localizada na Barra do Pari, em Várzea Grande, já tem sua conclusão e uso durante o evento completamente descartados, tanto pela última avaliação feita pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), quanto por parte do Governo do Estado.

Pelo menos, esta é a análise feita pelo chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf, durante o último teste realizado no estádio, no domingo (18), durante a partida entre Santos e Atlético-MG.

“O [COT] da universidade ficará disponível para uso. O [COT] do Pari, possivelmente, não”, afirmou.

"O [COT] da universidade ficará disponível para uso. O [COT] do Pari, possivelmente, não"

Para o TCE, a conclusão das duas obras até 31 de maio deste ano, conforme acordo firmado entre o órgão e o Governo do Estado, é uma promessa que não será cumprida.

COT do Pari


Orçada atualmente em R$ 26.884.392,67 e executado pelo Consórcio Barra do Pari – formado pela Engeglobal Construções Ltda., Três Irmãos Engenharia e Valor Engenharia –, a obra deveria ter sido concluída, de acordo com o último prazo prometido, em abril passado.

De acordo com o relatório divulgado pelo órgão na última semana, poucos avanços foram registrados no último mês no canteiro de obras do COT do Pari, obra que possui o cronograma mais atrasado, apresentando atualmente 65% dos serviços concluídos.

"É certo que o COT do Pari não estará totalmente concluído até o início da Copa do Mundo"

“A única evolução relevante foi no gramado. Houve, também, alguma evolução na parte interna do prédio central, no vestiário (piso) e uma laje do prédio central que foi finalizada”, diz trecho do relatório.

O documento aponta ainda que a quantidade de operários trabalhando no local é insuficiente, mas que “o atraso na execução de grande parte da obra se deve à falta de material de acabamento”.

“É certo que o COT do Pari não estará totalmente concluído até o início da Copa do Mundo”, aponta outro trecho do relatório.

COT da UFMT

Construído pelo Consórcio Campus Universitário – formado pela Engeglobal Construções Ltda. e a Três Irmãos Engenharia – e orçado em 17.352.950,96, o COT da UFMT poderá ser utilizado durante o Mundial, conforme o TCE, ainda que haja “muito serviço por fazer”.

Edson Rodrigues/Secopa

COT do Pari: com 65% dos serviços concluídos, obra não deverá ser usada durante a Copa

Segundo o relatório da pasta, a obra exige pouco acabamento devido à sua concepção arquitetônica, mas “o prazo é curto e, mesmo essa execução parcial, que permitiria o uso precário durante a Copa, depende do esforço concentrado e disponibilização de material na obra”.

De acordo com o documento, esse canteiro de obras também registra falta de material de acabamento, o que contribui para o atraso da obra.

“É importante mencionar que a obra do COT da UFMT, apesar de atrasada, está mais adiantada do que a obra do COT do Pari”, pontua o documento.

O TCE cobra que o Centro de Treinamento, que hoje possui 70% dos serviços concluídos, apresente condições mínimas de utilização durante o Mundial.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade