EMANUEL PINHEIRO REINAUGURA O MUSEU DA IMAGEM E DO SOM
06.06.2018

O prefeito Emanuel Pinheiro e o diretor de Projetos Especiais do Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN), Robson Antônio de Almeida, entregaram, nesta terça-feira (05), o Museu de Imagem e do Som de Cuiabá “Lázaro Pappazian” – MISC. A restauração do espaço faz parte das 16 ações aprovadas para Cuiabá por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC Cidades Históricas), atual “Agora é Avançar”.

A reinauguração preparada pela Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo ofereceu aos visitantes uma noite repleta de redescobertas, valorização da memória do povo cuiabano e homenagens aos precursores da idealização do museu, inaugurado originalmente em 30 de dezembro de 2004. Em 2006, o espaço passou por um processo de ampliação, funcionando ativamente por 10 anos e em 2018, a Prefeitura de Cuiabá, em parceria com o IPHAN, entregou sua restauração completa.

“Estamos muito felizes por estar aqui devolvendo ao Centro Histórico um museu que faz um resgate da nossa história, das nossas tradições e é repleta de grandes personagens que construíram e fizeram essa cidade tricentenária, amada por todos nós. Aqui, temos todo um acervo audiovisual, a história da imagem e do som, eternizadas pelas lentes geniais de Lazzaro Papazian – o Chao e de Nenê Andreato. Este é mais um presente para a cidade, reforçando a nossa proposta de revitalização de toda a antiga região central, em respeito à identidade cultural cuiabana e à necessidade de valorizar esse pedaço de chão abençoado, onde tudo começou - formando a história de uma cidade que representa 300 anos dentro da extensa jornada do Brasil”, ressaltou o chefe do Executivo.  

A obra, que faz parte das 16 ações que contemplam Cuiabá pelo governo federal, são conduzidas pelo Ministério da Cultura, por meio do Iphan, e visam o desenvolvimento das cidades históricas brasileiras. No caso do MISC, a revitalização recebeu investimentos de aproximadamente R$ 732 mil.

“Sabemos a atuação que o MISC tem nesse centro histórico e que ele faz parte de uma ação mais integrada nesta parceria do Iphan com a Prefeitura de Cuiabá, que já está trabalhando para as comemorações dos seus 300 anos. Estamos entregando mais esta obra, temos outras em execução e sentimos que a parceria com a gestão municipal é firme, pois sabemos do seu empenho na concretização dessas revitalizações. E o que esperamos é um centro vivo, com gestores comprometidos com a população. O programa está atuando em outras 43 cidades do Brasil e todo esse trabalho que desenvolvemos é para qualificar os espaços públicos e trazer qualidade de vida para quem mora nesses municípios. Aqui, eu consigo notar um sentimento de pertencimento muito forte. As pessoas amam o patrimônio, por isso acredito que seja apenas uma questão de ajustes para que tenhamos este centro totalmente requalificado. Parabéns Cuiabá e estamos reafirmando esta parceria da instituição com esta importante Capital para o nosso país”, afirmou o diretor de Projetos Especiais do IPHAN, Robson Antônio de Almeida.

O espaço já conta em sua essência com os acervos fotográficos dos artistas Lázaro Papazian (com mais de 25.000 fotos) e do Eurípedes “Nenê” Andreato (aproximadamente 8.000 fotos), todas digitalizadas e de acesso público para pesquisadores. Das mostras permanentes, o museu traz também salas com o acervo do ator Liu Arruda, as memórias musicais do mestre Inácio, a memória do cinema, com projetores do antigo Cine Teatro e fitas em VHS e a memória do rádio, com uma grande quantidade de discos de vinil, fitas cassete e equipamentos de radiodifusão, permitindo que o visitante conheça a Cuiabá de todos os tempos.

Nesta versão contemporânea, o museu apresenta salas ambientadas para dar vasão à arte cuiabana, como um espaço que retrata a trajetória dos 25 anos do grupo Flor Ribeirinha, um outro ambiente dedicado ao intercâmbio para exposições itinerantes, como a do artista moçambicano Hermínio Nhantumbo, além de um auditório com capacidade para 80 pessoas, onde foi apresentado o projeto de revitalização do Beco do Candeeiro.

“Fizemos questão de manter o que já tínhamos e inserir o que estava faltando, para trazer ainda mais atrativos para o museu, mantendo este espaço vivo. Estamos muito orgulhosos de estar devolvendo este local para a sociedade cuiabana, oferecendo aos estudantes, professores e pesquisadores um riquíssimo acervo, que sempre vai trazer em primeira mão a história de Cuiabá, além de abrir espaço para outros artistas exporem seus trabalhos, em qualquer segmento”, disse Francisco Vuolo, secretário municipal de Cultura, esporte e Turismo.   

Durante a celebração de estreia do novo Misc, foram homenageadas personalidades ilustres que fizeram com que o museu se tornasse uma realidade. Os saudosos fotógrafos Lázaro Papazian e Euripedes “Nenê” Andreatto foram respectivamente representados por sua filha, Yolanda Papazzian e esposa, Rosemary Andreatto. Os demais homenageados foram Aníbal Alencastro, que contribuiu com toda sua paixão pelo cinema e a fotografia, a cineasta e ex-secretária de Cultura do município, Glória Albuês - representando a classe artística - e o professor-historiador e idealizador do MISC, Carlos Alberto Rosa.

“Neste momento, eu quero agradecer ao prefeito Emanuel Pinheiro pela realização deste feito e ficaremos mais felizes se todo o Centro Histórico passar a ser visto como um complexo. Gostaria de fazer essa sugestão, para que dentro de suas possibilidades e esforços, o gestor faça o coração da cidade bater com mais alegria, investindo na estrutura física da região, com aterramento de sua fiação, para que aqui dentro deste cenário possamos fazer filmes de época. E aproveito ainda para falar de um lugar onde nosso coração navega, que é o Rio Cuiabá. Queremos incentivá-lo a trazer o saneamento e a despoluir essas águas, talhando seu nome como aquele titular que não teve medo de assumir esse grande desafio”, concluiu Glória Albuês.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade