PRESIDENTE DO PP DESCUMPRE ORIENTAçãO DE PARTIDO E PEDE VOTO PARA TAQUES
28.06.2018

O presidente do PP em Cuiabá, suplente de vereador Demilson Nogueira, que desde o mês de maio atua como presidente do Instituto de Terras do Estado de Mato Grosso (Intermat), está descumprindo as orientações de seu partido e vem apoiando publicamente a reeleição do governador Pedro Taques (PSDB).

Leia mais
Progressistas proíbe que presidente do Intermat "suba em palanque" ao lado de Taques


Durante entrega de títulos de regularização fundiária em um assentamento para pessoas deficientes na zona rural de Cuiabá, nesta quinta-feira (28), Nogueira pediu para que os beneficiados dêem a oportunidade para que o governador conclua o serviço iniciado com um novo mandato nas eleições de outubro.

“O que temos para fazer é muito. São 131 assentamentos e glebas. São 49 bairros em Cuiabá. O trabalho é muito grande. Agora, com seis meses não vamos dar conta de terminar. Eu quero convidar os senhores para nós oportunizarmos o governador a concluir este serviço que maravilhosamente estamos iniciando, dando a ele um novo mandato na eleição que vem”, disse o presidente da autarquia.

Posição do PP

Nogueira foi nomeado por Taques no dia 15 de maio deste ano, contra a vontade do presidente do partido em Mato Grosso, deputado federal Ezequiel Fonseca, que disse ter ficado sabendo de sua posse por meio da imprensa.

De acordo com Fonseca, que classificou a ida do correligionário para o governo como uma tentativa de Taques causar racha na sigla, o partido deliberou por ampla maioria em uma reunião no mês de maio que nenhum filiado poderá fazer campanha para Taques.

“Ele pode até estar lá [no governo], mas não poderá fazer campanha para o Pedro. Ele continuará só como presidente, ou então terá que sair. Isso foi uma decisão pessoal dele e ele não tem autorização do partido para isso. Com a resolução que nós aprovamos, ele terá que apoiar candidato do partido”, disse Fonseca. 

O Progressista segue no projeto de aliança com o grupo que lançará o senador Wellington Fagundes para o Governo. Atualmente, o projeto de coligação conta com o apoio de seis partidos. São eles: o MDB, PTB, PR, PSD, PCdoB, além do PP.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade