MAURO MENDES DIZ QUE TAQUES ESTá DESESPERADO E TENTANDO ATINGI-LO COM 'FAKE NEWS'
13.09.2018

Em nota oficial, Mauro Mendes disse que o governador vem demonstrando desespero com as últimas pesquisas eleitorais que mostram estar em queda livre e, por isso, vem promovendo fake news (noticias falsas) na tentativa de convencer o eleitor que é o melhor.

“Fake News e um desespero de causa”. Com estas frases o candidato ao Governo do Estado pela coligação “Pra Mudar Mato Grosso”, Mauro Mendes (DEM), classificou a denúncia feita pelo governador Pedro Taques (PSDB) que tenta a reeleição e que disse na quarta-feira que seu adversário deve salários e recisões contratuais para mais de 200 funcionários de uma de suas empresas instaladas em Rondônia.

Em nota oficial, Mauro Mendes disse que o governador vem demonstrando desespero com as últimas pesquisas eleitorais que mostram estar em queda livre e, por isso, vem promovendo fake news (noticias falsas) na tentativa de convencer o eleitor que é o melhor.


O candidato ao Governo Mauro Mendes (DEM) rebateu acusações feitas pelo governador e candidato à reeleição, Pedro Taques (PSDB), dando conta de que ele estaria “violando direitos humanos” de ex-funcionários. Mendes afirmou que o governador já foi, inclusive, punido pela legislação eleitoral em razão declarações inverídicas.

“As declarações mentirosas feitas pelo governador Pedro Taques mostram que ele insiste em propagar e criar fake news contra mim. Por mentiras como essas, ele já foi condenado pela Justiça Eleitoral e teve o programa suspenso”, afirmou o ex-prefeito. “Porém, insiste em desrespeitar o eleitor, menosprezar a Justiça e cometer crimes durante o período eleitoral”, completou.

Ainda no documento, o candidato nega que sua empresa tenha aplicado um “calote” nos funcionários, tampouco que eles tenham passado fome ou trabalhado em condições de escravidão.

“A Mavi promoveu a dispensa de forma regular e pagou os salários e a ajuda de custo para que os funcionários pudessem voltar para seus locais de origem, pois muitos deles moravam em outros Estados. Os únicos valores pendentes de pagamento são as verbas rescisórias, cujo montante já está devidamente disponibilizado em conta judicial”, disse Mendes.

Leia nota de Mauro Mendes na íntegra:


Sobre os ataques do governador Pedro Taques (PSDB) na TV Centro América, o candidato Mauro Mendes (DEM) esclarece que:

1) Em razão da recuperação judicial do Grupo Bipar, em 2015, houve uma dispensa de trabalhadores em Cacoal, Rondônia, que atuavam para a empresa Mavi, da qual sou sócio. Mas, ao contrário do informado maldosamente pelo governador, os funcionários não levaram calote da Mavi, tampouco passaram fome ou trabalhavam em condições de escravidão.

2) A Mavi promoveu a dispensa de forma regular e pagou os salários e a ajuda de custo para que os funcionários pudessem voltar para seus locais de origem, pois muitos deles moravam em outros Estados.

3) Os únicos valores pendentes de pagamento são as verbas rescisórias, cujo montante já está devidamente disponibilizado em conta judicial.

4) Tais verbas ainda não foram pagas por culpa exclusiva da lentidão da Justiça e em razão dos sucessivos recursos interpostos pela empresa terceirizada Linha Verde Transmissora de Energia S/A (LVTE), que havia feito a contratação dos funcionários.

5) A Mavi em nenhum momento questionou a sentença no que tange ao pagamento das verbas rescisórias, uma vez que entende ser direito legítimo dos ex-funcionários.

6) Conforme consta no próprio processo, a Mavi ingressou com pedido na Justiça em que solicitou a liberação dos pagamentos, visando amparar financeiramente os trabalhadores e suas famílias.

7) As declarações mentirosas feitas pelo governador Pedro Taques mostram que ele insiste em propagar e criar fake news contra mim. Por mentiras como essas, ele já foi condenado pela Justiça Eleitoral e teve o programa suspenso. Porém, insiste em desrespeitar o eleitor, menosprezar a Justiça e cometer crimes durante o período eleitoral

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade