MAURO QUER IMPLANTAR PROGRAMA TOLERâNCIA ZERO EM MT
18.09.2018

O auditório da Fecomércio-MT foi palco na terça-feira do “Diálogo com os candidatos ao Governo do Estado”. O evento organizado pela União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (UNECS) em Mato Grosso, representada pela Acomac/MT, Abrasel, ACC, Amad, Asmat, CDL Cuiabá, Facmat e FCDL, trouxe os três candidatos mais bem posicionados nas pesquisas de opinião para as eleições de outubro, Mauro Mendes (DEM), Pedro Taques (PSDB) e Wellington Fagundes (PR).

Os candidatos foram questionados pelas entidades que representam a Unecs, inclusive pela Fecomércio em Mato Grosso, sobre os quatro blocos temáticos que nortearam o diálogo: Eficiência do Estado; Ambiente de Negócios; Urbanismo e serviços essenciais; Garantia dos Direitos.

O primeiro a responder as perguntas foi o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, que administrou a capital do estado entre 2013 e 2016.

Questionado pela Fecomércio-MT sobre qual seria a prioridade no controle das despesas públicas e a melhoria da eficiência do estado, Mauro confirmou enxugar o estado, diminuindo o tamanho da máquina pública e criar um ambiente propício para investimentos em Mato Grosso. “Vamos reduzir o número de secretarias e de cargos comissionados de indicação política. Além disso, desenvolver programas de incentivos fiscais para atrair novas indústrias e desenvolvimento para as regiões mais carentes de Mato Grosso”.

Indagado pelas entidades que compõem a UNECS no estado sobre o alto custo da folha de pagamento entre efetivos e temporários, Mauro afirmou reorganizar o funcionamento da administração pública com o objetivo de melhor atender a população, obter mais eficiência, racionalizar processos, desburocratizar e descentralizar decisões. “Dar respostas imediatas à necessidade de ampliação da arrecadação e melhoria dos serviços públicos a partir da eficiência da máquina pública”, disse o candidato.

Outro argumento levantado pela UNECS tratou do sistema tributário nacional e apresentou um dado alarmante, onde mostra que 42% dos executivos no país consideram a alta carga tributária como um problema para o crescimento nacional. O candidato informou que será feito uma revisão e simplificação da legislação tributária no estado. “Ao contrário do que foi prometido pela atual gestão e que até o momento não foi levado à Assembleia Legislativa, nós vamos trabalhar muito e realizar a tão sonhada reforma”.

A onda de assaltos e furtos também foi abordado no diálogo e mostrou a realidade de diversos comerciantes no estado que sofrem constantemente com isso e, em muitos casos, são forçados a fechar as portas pelo prejuízo causado. Mauro explicou que pretende aparelhar a força de segurança, investir em inteligência e na polícia científica. “Vamos respeitar as instituições policiais e valorizar o servidor público. Implantar o programa ‘Tolerância Zero’ contra a criminalidade, principalmente contra o crime organizado. Além disso, iremos disponibilizar aos policiais equipamentos e armamentos de tecnologia avançada para que a força de segurança possa oferecer um trabalho de qualidade à sociedade e que resguarde a vida do policial”, concluiu.

Ao término do evento, cada candidato recebeu o “Guia do Estado Empreendedor”, documento elaborado pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) que propõe a formulação de estratégias que podem contribuir para o desenvolvimento sustentável da economia no estado. Além disso, eles assinaram um termo de compromisso com as entidades do comércio e serviço do estado para trabalhar em cima da reforma trabalhista sem estimular quaisquer mudanças fiscais e tributárias que venham a elevar tarifas, criar impostos ou elevar a carga tributária dos cidadãos mato-grossenses. 

Criada em 2014, a União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços é formada por oito das maiores instituições brasileiras representativas da área do comércio e serviços: Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (Abad), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Associação Brasileira de Automação para o Comércio (Afrac), Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Confederação Nacional de Dirigentes e Lojistas (CNDL) e Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB). A Unecs é responsável por 15% do PIB brasileiro; 65% das operações de crédito e débito no país e pela geração de 22 milhões de empregos direto.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade