MEGATRAFICANTE INTERNACIONAL PRESO EM MT ‘LUCROU’ MAIS DE MEIO BILHãO DE REAIS COM COCAíNA
23.11.2018

O megatraficante internacional Luiz Carlos da Rocha, vulgo “Cabeça Branca”, movimentou mais de meio bilhão de reais com cocaína, segundo o que apurou a Polícia Federal. O criminoso foi preso no ano passado, em Sorriso (420 quilômetros de Cuiabá). Na última quinta-feira (22), as autoridades deflagraram a ‘Operação Sem Saída’, ação que é a quarta fase da ‘Operação Spectrum’.

Leia mais:
Ex-prefeito é preso pela PF acusado de ligação com megatraficante internacional
 
Conforme a decisão que determinou a prisão de quatro pessoas, a Polícia Federal descobriu, após minuciosa análise das planilhas eletrônicas apreendidas em computadores do megatraficante, que ‘Cabeça Branca’, do ano de 2014 até meados de 2017, teria negociado – junto a sua organização - aproximadamente 27 toneladas de cocaína e recebidos pagamentos na ordem de U$ 138.233.839,00 (mais de R$ 525 milhões).
 
Cabeça Branca utilizava diversas fazendas que tinha em Mato Grosso como ‘aeroportos do tráfico’. Isso porque as aeronaves carregadas com os entorpecentes pousavam nas propriedades rurais do megatraficante.
 
A denominada Operação Spectrum está em sua 4ª fase ostensiva, tendo até o momento arrecadado aproximadamente 500 milhões de reais em patrimônio da organização criminosa comandada por Luiz Carlos da Rocha, o “Cabeça Branca”, somente em solo brasileiro. Dentre os bens sequestrados estão 16 fazendas que somadas representam uma área de aproximadamente 40 mil hectares no Estado do Mato Grosso.
 
Somente nesta ‘Operação Sem Saída’ o patrimônio arrecadado será de mais de 100 milhões de reais, considerando que somente em fazenda são mais de 11 mil hectares.
 
Esta é a maior operação da história da Polícia Federal na desarticulação patrimonial de organização criminosa com atuação no tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro.

Durante as investigações da Operação Spectrum, a PF desarticulou uma estrutura criminal criada visando o tráfico internacional de drogas. Esse esquema era comandado por Luiz Carlos da Rocha, mais conhecido como “Cabeça Branca”. Ele era tido como um dos maiores traficantes da América do Sul, tendo conexões em dezenas de outros países.
 
Luiz Carlos da Rocha era procurado pela Polícia Federal e pela Interpol. Ele foi preso no município de Sorriso no dia 1º de julho de 2017 e chegou a fazer algumas cirurgias plásticas na face para dificultar sua identificação. Ele foi condenado a 49 anos de prisão.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade