24 de Julho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

GERAL Terça-feira, 05 de Novembro de 2019, 15:34 - A | A

Terça-feira, 05 de Novembro de 2019, 15h:34 - A | A

RESIDENCIAL JONAS PINHEIRO 3

Justiça determina despejo de 450 famílias que ocupam loteamento abandonado

Muvuca Popular

Uma decisão judicial, encaminhada neste final de semana, destruiu a vida dos moradores do Residencial Jonas Pinheiro 3. A notificação, entregue pela polícia, determinou que 450 famílias deixem os imóveis nesta quarta-feira (6). A desapropriação está marcada para iniciar as 6h e o comunicado pede a compreensão dos residentes, para que não aja conflito durante a saída.

Entretanto, essa não é a primeira ordem de despejo que a região recebe, os moradores, inclusive, já estão se acostumando a brigar na Justiça pelo loteamento. “Essa já é a terceira ordem de despejo. Conseguimos reverter as outras duas e esperamos ultrapassar essa também. Não temos para onde ir. Vamos ficar aqui até o último segundo”, afirma Karol Ribeiro, moradora do local.

O Residencial Jonas Pinheiro 3 foi construído com um convênio entre a Prefeitura de Cuiabá, Caixa Econômica Federal e Construtora Lumen, e seria distribuído pela Secretaria Municipal de Habitação e Regularização Fundiária. Porém, deveria ter sido entregue em 2014, mas até 2017 estava abandonado, sendo assim, os ocupantes se reuniram para dividir as moradias.

“Quando a gente chegou aqui estava tudo destruído. Sem porta, sucateado. Nós pintamos, cuidamos e agora querem que a gente saia. Isso não é certo”, pontua Kelvin Paulo Luiz Santos, que mora há 1 ano e 7 meses no local, com a esposa e o filho.

Além disso, segundo moradores, o saneamento básico e a energia do Residencial estão sendo usados de forma clandestina. Mas a população alega que tem interesse em regularizar essa situação. “A gente não quer nada dado. Vamos pagar por isso. Só queremos nossa casa”, declaram.

Os residentes estão em discussão com a Prefeitura de Cuiabá para reverter o mandado de despejo, caso o Executivo mantenha a ordem de desapropriação, as famílias garantem que devem ir às ruas para protestar contra a medida que desabriga inúmeras pessoas.

No evento de despejo, foram convocados para participar e apaziguar a situação a Polícia Militar, 1° Comando Regional, Batalhão da Rotam, Regimento de Policiamento Montado e o Corpo de Bombeiros Militar.

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do A Notícia MT (anoticiamt.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site A Notícia MT (anoticiamt.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

image