24 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

GERAL Terça-feira, 29 de Novembro de 2022, 09:31 - A | A

Terça-feira, 29 de Novembro de 2022, 09h:31 - A | A

SUSTENTABILIDADE

Usina solar do Sicredi entra em operação em Mato Grosso

Construída em Nova Xavantina, a estrutura gera mais de 11 gigawatts-hora de energia por ano e atende 140 agências e sedes administrativas da instituição financeira cooperativa no Estado

Redação

Parque solar de energia construído pelo Sicredi em Nova Xavantina, na região do Araguaia, (a 660 km de Cuiabá) entra em operação e vai abastecer 140 agências e sedes administrativas da instituição financeira cooperativa no Estado. Com investimento de mais de R$ 30 milhões, a usina solar fotovoltaica ocupa uma área de nove hectares, onde foram instalados 18 mil painéis, com potência para gerar 5 megawatts (MW) de energia. A geração própria evitará a emissão de mais de 24 mil toneladas de carbono em 25 anos.

 

Esta é uma das iniciativas que materializam a agenda do Sicredi na área de sustentabilidade, que vão ao encontro do seu propósito, de construir juntos uma sociedade mais próspera. Por ano, a usina tem capacidade para gerar mais de 11,3 gigawatts-hora de energia. Para se ter uma ideia do tamanho do projeto, o volume é suficiente para abastecer mais de 2.700 residências que consomem em média 350 kilowatts-hora/mês.

 

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

Além do benefício ambiental, a operação da usina terá benefícios financeiros. A estimativa é que a despesa do Sicredi com a conta de energia elétrica no Estado tenha uma redução de 95%, uma economia anual de aproximadamente R$ 12 milhões.

 

“A construção de uma usina de energia solar para abastecer as agências do Sicredi em Mato Grosso é a concretização das ações que planejamos para cumprir o nosso Referencial de Desenvolvimento Sustentável. Com ele, o Sicredi planeja e executa iniciativas a partir de direcionadores que visam reduzir o impacto ambiental de suas operações, bem como maximizar os impactos positivos. A usina traz benefícios aos associados, à sociedade e ao meio ambiente”, afirma o diretor de Supervisão da Central Sicredi Centro Norte, Nauder Alves.

 

Energia solar no Brasil

A geração energética por fonte solar está em expansão no Brasil, e segue em ritmo acelerado de crescimento. Proveniente de uma fonte renovável e inesgotável de energia, não é poluente e exige pouca manutenção em suas centrais de produção. Levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) aponta que o país tem atualmente (dado atualizado em setembro de 2022) uma potência instalada de 18,6 gigawatts, sendo 12,7 GW de geração distribuída e 5,9 GW de geração centralizada.

No ranking estadual de geração distribuída, Mato Grosso aparece em 4º lugar, com 795,4 MW (6,2% de participação), atrás de Minas Gerais (2.038 GW/16%), São Paulo (1.705 GW/12,5%) e Rio Grande do Sul (1.418 GW/11,1%).

 

“Desde 2018, a capacidade de geração de energia elétrica com fonte solar praticamente dobra a cada ano no Brasil. Isso é consequência das políticas públicas de incentivo à produção de energia limpa e do avanço tecnológico desse sistema”, afirma o engenheiro eletricista Luciano Mori, especialista e consultor na área de projetos e instalação de sistemas de geração fotovoltaicos em Mato Grosso.

Ele afirma que esta é uma energia renovável e limpa, com baixa emissão de carbono. “E quando se fala em sustentabilidade, esse sistema de geração de energia é maravilhoso. Todo mundo ganha, desde uma residência, um comércio ou uma indústria, financeiramente falando, até o planeta, que sofrerá menos pressão da poluição”. Ele acrescenta que, quando uma empresa faz esse tipo de investimento, ela passa a ser vista com outros olhos pelo mercado e pela sociedade, e tem acesso a certificações que aumentam seu valor.

Sustentabilidade no Sicredi

 

Desde 2020, o Sicredi faz parte do Pacto Global, uma iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU) para estimular empresas a adotarem políticas de responsabilidade social corporativa e de sustentabilidade por meio da adesão a 10 princípios relacionados a direitos humanos, trabalho, meio ambiente e corrupção.

 

A participação no Pacto Global fortalece a busca do Sicredi pelo desenvolvimento sustentável em todos os aspectos do negócio e reafirma o compromisso na adoção dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) como guia para suas iniciativas. Esses objetivos incluem temas como erradicação da pobreza, o combate às mudanças climáticas e a preservação dos recursos naturais.

 

“São princípios que estão ligados intimamente à atuação do Sicredi, que promove a inclusão financeira, disponibiliza recursos para o desenvolvimento de negócios e das pessoas, e desenvolve projetos sociais que beneficiam a comunidade, pautados pela cooperação, ética, cidadania e respeito ao meio ambiente. A sustentabilidade está em todas as esferas do nosso negócio e direciona nossa atuação. Cada vez mais o Sicredi busca o equilíbrio em seus objetivos econômicos, sociais e ambientais, visando o bem-estar de todos”, acrescenta o presidente da Central Sicredi Centro Norte, João Spenthof.

 

Sustentabilidade na prática

 

Para cumprir a agenda de sustentabilidade, o Sicredi possui o Referencial de Desenvolvimento Sustentável, orientado por três grandes direcionadores: ‘relacionamento e cooperativismo’, ‘desenvolvimento local’ e ‘soluções responsáveis’, construídos a partir dos pilares social, econômico e ambiental. A partir desse Referencial, as cooperativas monitoram os impactos positivos de sua presença na sociedade e traçam estratégias para ampliá-los.

 

No que se refere às soluções responsáveis (pilar econômico da sustentabilidade), o Sicredi apoia os associados pessoas físicas, empresas e produtores rurais com recursos. São linhas de crédito para a economia verde, agricultura de baixo carbono, agroecologia e agricultura orgânica, boas práticas agrícolas, energia renovável e sustentabilidade, além de financiamentos de energia solar. No pilar ambiental está ainda o inventário das emissões de gases do efeito estufa, em suas operações e por colaborador.

 

No quesito crédito, o Sicredi contabiliza a concessão R$ 3,3 bilhões aos associados para projetos de energia solar no ano passado, em todo o País. O montante envolve 52,5 mil operações. O valor emprestado foi 106% maior que o registrado em 2020, quando totalizou R$ 1,605 bilhão. O crédito para energia renovável e sustentabilidade somou R$ 4,5 bilhões em 2021, contra R$ 2,3 bilhões no ano anterior, alta de 95,6%.

 

Na área de atuação da Central Sicredi Centro Norte (que abrange os estados de Mato Grosso, Rondônia, Acre, Roraima, Amazonas, Amapá, além de grande parte do Pará e alguns municípios de Goiás), as cooperativas do Sicredi emprestaram aos associados mais de R$ 1,143 bilhão em recursos para energia solar e energia renovável nos últimos 5 anos (até maio de 2022). Foram mais de 17,5 mil operações.

 

Isso mostra que, além de buscar iniciativas que reduzam o impacto das atividades no ambiente, o Sicredi disponibiliza a mesma oportunidade aos associados. Além de gerar a própria de energia e beneficiar o meio onde vive, o associado pessoa jurídica tem o custo com energia reduzido, valor que pode ser direcionado para outra finalidade e melhorias no negócio. No caso das pessoas físicas, o benefício direto é o alívio do orçamento.

 

Outra iniciativa do Sicredi na área de sustentabilidade é a neutralização de suas emissões de carbono. A gestão de emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE) é feita em nível nacional e contempla um diagnóstico completo das operações por meio do Inventário de GEE e da neutralização anual de emissões. Em 2021 foram neutralizadas mais de 21 mil toneladas de GEE em todo o país, calculadas no inventário de emissões de 2020. Este ano, a aquisição dos créditos é para 2021 e 2022, tendo como beneficiários cinco projetos de crédito de carbono, um em cada região do Brasil.

 

“A geração de energia pela usina é uma forma de reduzir as nossas emissões de carbono – nossa estimativa chega a 26% de redução anual. A projeção das emissões para 2022 na área de abrangência da Central está em 3.700 toneladas de gás carbônico equivalente, volume que já seria neutralizado com a aquisição de créditos de um projeto de conservação da floresta amazônica. Porém, com a entrada da usina e a adoção do sistema em novas instalações, buscamos prioritariamente a redução”, informa Daniela Lepinsk Romio, gerente de Sustentabilidade da Central Sicredi Centro Norte.

Futuro

 

A operação da usina solar fotovoltaica em Nova Xavantina é mais um passo da evolução do Sicredi nas regiões Centro-Oeste e Norte na agenda da sustentabilidade. Novos projetos já estão em andamento, como a expansão no abastecimento de energia solar para novas agências (inauguradas recentemente) em Mato Grosso.

 

No Pará, o Sicredi também prevê uma usina solar para abastecer as agências e, no Acre a aquisição de um parque solar fotovoltaico já pronto está em processo de finalização. Nos demais estados da área de atuação da Central (Amazonas, Roraima Amapá e Rondônia), o Sicredi estuda o uso de crédito de energia de matrizes sustentáveis que já estejam disponíveis na região para utilização pelas cooperativas em suas agências.

 

 

Sobre o Sicredi

 

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento de seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. Possui um modelo de gestão que valoriza a participação dos mais de 6 milhões de associados, que exercem o papel de donos do negócio. Com mais de 2.200 agências, o Sicredi está presente fisicamente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, disponibilizando mais de 300 produtos e serviços financeiros.

 

O Sicredi Centro Norte, que abrange os estados de Mato Grosso, Rondônia, Acre, Amazonas, Roraima, Amapá, parte do Pará e algumas cidades de Goiás, tem mais de 770 mil associados, com 272 agências em 209 municípios.

 

Site do Sicredi: www.sicredi.com.br

Redes Sociais: Facebook | Instagram | Twitter | LinkedIn | YouTube

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do A Notícia MT (anoticiamt.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site A Notícia MT (anoticiamt.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

image