19 de Julho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLICIA Sexta-feira, 11 de Outubro de 2019, 13:33 - A | A

Sexta-feira, 11 de Outubro de 2019, 13h:33 - A | A

MÁFIA DO FISCO

Ex-coordenadora da Sefaz é condenada por cobrar propina para reduzir imposto de transportadora

Folha Max

Ex-coordenadora do Sistema Integrado da Administração Tributária (Siat), Leda Regina de Moraes Rodrigues foi condenada a devolver mais de R$ 354,549 mil aos cofres públicos por improbidade administrativa. De acordo com a denúncia do MPE (Ministério Público Estadual), ela tinha por hábito reduzir ilegalmente, ao lado de outros servidores públicos e sempre mediante propina, os impostos devidos por empresas.

O valor ainda será corrigido em 0,5% ao mês a partir de 11 de janeiro de 2003, além do pagamento de uma multa civil correspondente a 5% do valor já corrigido, mais juros de 1% ao mês, além da correção monetária pelos índices do INPC (Instituto Nacional de Preços ao Consumidor)/IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Ao lado dela, a juíza Célia Regina Vidotti também condenou Carlos Marino Soares Silva; Arizon Roque da Silva; Adalto Sales de Matos e Madelis Transportes Ltda às mesmas sanções, mas enquanto o valor a ser quitado será dividido entre eles, cada multa é individual, de cerca de R$ 17,727 mil, ainda sem as correções. Nenhum também poderá se candidatar por um período de três anos, devido à suspensão de seus direitos políticos.

“A responsabilidade acerca do ressarcimento é solidária e os valores deverão ser acrescidos de juros de 0,5% ao mês, desde a lavratura do auto de infração e imposição de multa até 11/01/2003, quando passa a ser de um por cento (1%) ao mês, com a entrada em vigor do Código Civil (lei 10.406/2002) e correção monetária, pelo INPC, também incidente a partir da lavratura do auto de infração e imposição de multa (art. 398, Código Civil; Súmulas 43 STJ e 54 STF). Condeno os requeridos ao pagamento das custas processuais a ser divididas pro rata”, continuou a magistrada, explicando que o pagamento da multa será acrescido de juros moratórios de 1% por cento ao mês e correção monetária pelo INPC/IBGE, ambos incidindo a partir da data da sentença.

Leda Maria e todos os citados teriam participado de atos ilegais de autorização de concessão de regime especial de recolhimento de ICMS da Madelis Transportes Ltda sem exigência de nenhum dos requisitos necessários e previstos em lei.

Todos os citados estão proibidos de contratar com o Poder Público ou receber benefícios fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, mesmo por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos.

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do A Notícia MT (anoticiamt.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site A Notícia MT (anoticiamt.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

image