19 de Junho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

VARIEDADES Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2023, 11:21 - A | A

Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2023, 11h:21 - A | A

LUÍSA SE TU ME QUISERES

Climão com Luísa Sonza, show de Dona Onete e volta de Preta Gil: como foi o WME Awards 2023

DA ISTOÉ

Na noite desta quinta-feira, 14, aconteceu a sétima edição do WME Awards 2023 powered by Billboard Brasil, prêmio totalmente dedicado às mulheres do universo musical. Em 2023, foram 17 categorias apresentadas no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo (SP).

Neste ano, o evento homenageou Rita Lee, que revolucionou a música no Brasil, e Dona Onete, que ainda está fazendo história aos 84 anos.

Como foi o WME Awards 2023

O destaque da noite foi Preta Gil, que, ao lado de Larissa Luz, apresentou a premiação pelo sétimo ano consecutivo. O evento foi o primeiro depois do anúncio oficial do fim tratamento oncológico da cantora, feito na segunda-feira, 11.

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

Esbanjando disposição, Preta recepcionou ídolas da música no palco e improvisou quando uma falha técnica impediu que Karol Conká e Carol Biazin se apresentassem, dando uma “palhinha” da música “O Canto da Cidade”, de Daniela Mercury, também com Larissa.

E por falar em Daniela Mercury, a cantora fez Preta cair em lágrimas quando quebrou o protocolo e subiu ao palco para homenagear a amiga: “Você trouxe, para todas as pessoas que sofrem de câncer, uma outra perspectiva. Você é vida”, elogiou, em discurso que terminou em selinho entre as artistas.

Liniker também caprichou no discurso ao receber o prêmio de Cantora do Ano, principal da noite. Em seu agradecimento, a cantora relembrou o fato de ter saído de Araraquara, no interior de São Paulo, para começar a carreira artística na capital.

“Ganhar esse prêmio me deixa muito emocionada porque eu lembro toda hora de onde eu venho. A minha voz foi a minha grande companheira quando eu cheguei em São Paulo […] Foi o meu ganha-pão, foi com a minha voz que eu consegui e tenho conseguido atravessar lugares que nunca foram permitidos para corpos como os meus, para cores de pele como a minha, para histórias parecidas com as histórias de onde eu venho”, declarou.

Se apresentaram, ainda, Dona Onete, Paula Lima, DJ Sophia, Fernanda Abreu, Julia Mestre, Uana, Luísa Sonza, Karol Conká, Carol Biazin, Vivi, Gabi Martins, Aíla, Daniela Mercury, Mariah Nala e Amanda Magalhães.

Luísa, se tu me quiseres…

A “torta de climão” da noite, no entanto, ficou por conta de Luísa Sonza: a cantora venceu o prêmio “Música Mainstream” por “Chico”, mas, mesmo presente no evento, não subiu ao palco.

Desavisadas, Titi Müller e Marimoon, apresentadoras da categoria, tiveram de improvisar até Larissa interceder: “Não sabemos onde a Luísa está, a gente entrega o prêmio para ela depois”, disse.

Posteriormente, a cantora justificou nas redes sociais: “Eu estava no camarim na hora, não escutei, corri para conseguir receber, mas não deu tempo, foi só isso. Eu amo essa música, pra mim uma das melhores que já fiz, ela é meu xodó, fiquei muito feliz com o prêmio.”

Homenagens a Rita Lee e Dona Onete
Dois grandes nomes da música, Rita Lee e Dona Onete receberam as honras da noite. Rita, que faleceu em maio deste ano, recebeu o prêmio por meio de sua neta, Izabella Lee, que emocionou no discurso: “Ela faz muita falta. Eu penso nela quase todos os dias. Ela inspirou muitas mulheres brasileiras e teve uma fama internacional. É uma honra estar aqui.”

Já Dona Onete, a Rainha do Carimbó, subiu ao palco para receber a honraria e cantar algumas de suas músicas de sucesso, como “Jamburana”.

Ela também deu um show de simpatia à reportagem da IstoÉ Gente:”Eu cheguei até tremendo um pouquinho. É uma coisa bonita, uma luta das mulheres, e eu estou lutando também, há muitos anos”, desabafou.

Na sequência, Dona Onete comemorou o fato de, em setembro deste ano, sua obra ter sido reconhecida como patrimônio cultural imaterial do estado do Pará: “Eu sempre digo: ‘quem tiver de me homenagear, o faça em vida’. Fui escolhida em Belém e agora sou patrimônio cultural imaterial do Pará. Levei a cultura para fora do Brasil primeiro e depois entrei, cheguei no Rock in Rio e agora estou em quase todos os lugares, lutando por esse ritmo diferente.”

E finalizou: “Estou muito feliz por receber essa homenagem que não é só minha, é de todas as mulheres. Estamos aqui brigando.”

Confira as vencedoras do WME Awards 2023
Cantora do ano: Liniker
Álbum do ano: Vício Inerente — Marina Sena
Cantora revelação: Uana
Música alternativa: 99 Problemas — Duquesa e MC Luanna
Música mainstream: Chico — Luísa Sonza
Videoclipe: Fé nas Maluca — IZA e MC Carol
Show do ano: Numanice #2 — Ludmilla
Música latina: Anitta
Compositora: Luedji Luna
Instrumentista do ano: Karollzinha Sanfoneira
DJ do ano: Afrolai
Jornalista musical do ano: Kenya Sade
Profissional do ano: Bia Wolf
Radialista do ano: Sarah Mascarenhas
Produtora musical: Ana Frango Elétrico
Diretora de videoclipe do ano: Aisha Mbikila
Empreendedorismo musical: Tania Artur

 

 

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do A Notícia MT (anoticiamt.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site A Notícia MT (anoticiamt.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

image