19 de Junho de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

Quarta-feira, 08 de Maio de 2019, 14h:59 - A | A

NO IMPROVISO

Creche e posto de saúde funcionam em locais improvisados em MT

image

A creche Lar Menino Jesus e o posto de saúde, que ficam na Comunidade de Varginha, em Santo Antônio de Leverger, a 35 km de Cuiabá, estão funcionando em locais improvisados, por falta de reforma e conclusão de obra nos prédios das unidades de educação e saúde. As crianças da creche foram levadas para uma sala que não tem ventilador e a porta dá acesso direto à rua. Já o posto de saúde está funcionando em uma casa e os pacientes aguardam atendimento na varanda.

A Prefeitura de Santo Antônio do Leverger alega que tem uma lista de instituições de ensino precisando de reparos e que falta dinheiro para atender todas as demandas. No entanto, a prefeitura afirmou que a creche de Varginha está no cronograma e a reforma deve ser concluída.

“Daqui a 20 dias vai começar a chegar o material para a reforma. Para essa semana, vamos melhorar a climatização, fazer uma divisa onde está a cozinha e a sala de aula e fazer uma cerca para dar proteção às crianças”, afirmou o secretário de Educação, Pedro Ribeiro Filho.

Em relação ao posto de saúde, a assessoria do município informou que o atraso na conclusão da obra foi por causa de uma chuva e que a previsão é entregar a obra no mês de julho.

A creche atende crianças de 2 a 5 anos e foi fechada em dezembro do ano passado para uma reforma, mas a obra não foi feita no local.

“Deu uma chuva aqui na região e alagou a escola. Na época o secretário de Educação disse que teria uma reforma geral na escola, mas só consertou uma viga que tinha caído, e a gente continua esperando pela reforma”, disse a agente penitenciária Emanuely da Silva Cristina Pinheiro.

 
Posto de saúde funciona em casa alugada — Foto: TVCA/ Reprodução

Posto de saúde funciona em casa alugada — Foto: TVCA/ Reprodução

A creche foi transferida para lanchonete, igreja e posto de saúde.

“As crianças estão sofrendo com o calor, porque não tem ventilador”, disse a mãe de um aluno, Luana Silva Moreira.

Outro problema enfrentado pelos alunos é a falta de transporte para os levarem à escola.

“O transporte passou apenas um dia na porta de casa e não passou mais. Falaram que estavam arrumando o ônibus”, contou a dona de casa Josélia Silva.

O secretário de Educação afirmou que a frota é antiga e o município precisa de mais ônibus. Ele afirma que a verba repassada pelo estado é muito pequena e eles não estão conseguindo atender a demanda.

“Já procuramos a secretária de estado e já tentamos marcar uma audiência três vezes, mas ainda não fomos recebidos por ninguém”, ressaltou.

A Secretaria Estadual de Educação (SES) disse que o repasse para o transporte escolar do município está em dia e que já foi repassado ao município o valor total de R$ 4,3 mil referentes a três parcelas dos meses de março, abril e maio. Ao todo, está previsto o repasse total para o transporte escolar no valor de R$ 1,3 milhão, divididos em 10 parcelas. 

Posto de saúde 

O posto de saúde da comunidade funciona em uma casa alugada pela prefeitura e atende, em média, 20 pessoas por dia. Os pacientes aguardam em uma varanda da casa para serem atendidos.

A prefeitura iniciou uma obra em um prédio na comunidade para funcionar a unidade de saúde. A obra deveria ter sido entregue no ano passado, mas até agora não foi concluída.

“Cada vez que a gente cobra eles reformam um pouco mais, mas não nunca terminam. Já foi gasto mais de R$ 500 mil e não vemos nada disso”, ressaltou o presidente da comunidade, Mario Eugênio de Amorim.

Imprimir




RÁDIO

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da





ENQUETE

VEJA MAIS

Você é contra ou a favor ao novo decreto do porte de armas?

PARCIAL

(65) 3052-6030

redacaocopopular1@gmail.com admcopopular1@gmail.com financeiro@copopular.com.br

logo
image