14 de Junho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

AGRONEGÓCIO Quarta-feira, 06 de Dezembro de 2023, 11:12 - A | A

Quarta-feira, 06 de Dezembro de 2023, 11h:12 - A | A

DESAFIOS

Excesso de umidade limita semeadura do arroz

AGROLINK

De acordo com o último boletim de acompanhamento de safra da Conab, a semeadura do arroz segue avançando mas ainda enfrenta desafios. O excesso de umidade é um fator limitante da safra. No Rio Grande do Sul, a semeadura do arroz mostrou progressos significativos, impulsionada pela diminuição do volume de chuvas.

Na região Central do estado, observou-se um avanço de aproximadamente 20% na semeadura, um indicativo positivo para os agricultores da região. Além disso, a necessidade de replantio em áreas anteriormente afetadas pelo excesso de chuvas e alagamentos. Com a Zona Sul já tendo encerrado a semeadura e as demais áreas aproximando-se de 90% do plantio, o clima atual tem sido um aliado no manejo das lavouras. Em Santa Catarina, contudo, a situação apresenta desafios distintos. As chuvas intensas na região têm afetado negativamente a qualidade das lavouras de arroz. Especificamente, o transbordamento de rios causou o acamamento das plantações, prejudicando o desenvolvimento normal das plantas. Isso resultou em replantio em cerca de 1% da área total estimada, um esforço adicional para os agricultores. Essas condições climáticas também impulsionaram a realização de operações de adubação de cobertura e tratamentos fitossanitários, medidas essenciais para salvaguardar a saúde e o rendimento das lavouras.

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

No Maranhão, o cenário é de colheita para as lavouras de arroz irrigado, uma etapa fundamental do ciclo produtivo. Nas áreas destinadas ao arroz sequeiro, o preparo do solo para o início do plantio está em andamento, marcando o começo de um novo ciclo produtivo.

Goiás, por sua vez, mostra um desenvolvimento vegetativo favorável para as lavouras irrigadas, beneficiadas pelas chuvas recentes que contribuíram para o aumento dos níveis das barragens, especialmente nas áreas que utilizam o sistema de pivôs centrais. Este aumento nos reservatórios é vital para a sustentabilidade da irrigação na região.

No Tocantins, destaca-se a evolução do plantio nas regiões de várzeas, um sinal positivo para a produção de arroz no estado.

Por fim, em Mato Grosso, as lavouras têm demonstrado bom vigor na evolução vegetativa, apesar das chuvas reduzidas. Essa resiliência das lavouras diante de variações climáticas menos favoráveis é um indicativo da robustez das práticas agrícolas na região.

PROGRESSO DA SAFRA

Semana de 27 de novembro a 03 de dezembro de 2023

Percentual da área semeada nacional: 80% 

Com a semeadura de arroz alcançando 80% da safra, observamos que as condições recentes foram, em grande parte, propícias para a semeadura e o desenvolvimento inicial das culturas. Apesar de terem ocorrido desafios isolados devido ao excesso de umidade em algumas áreas, o processo global de plantio tem mostrado eficiência. Comparativamente, o ritmo do plantio da safra 2023/24 está ligeiramente atrasado em 3,9% em relação ao ano anterior.

No entanto, essa diferença pode ser vista como uma variação dentro de um padrão esperado, indicando que o progresso atual está alinhado ao comportamento observado na safra passada.

No Tocantins, observa-se um aumento no progresso da safra, passando de 50% na semana passada para 60% na semana atual. Comparado ao mesmo período na safra anterior, onde o progresso era de 73%, atualmente o estado apresenta um atraso, com uma variação negativa de 13%.

No Maranhão, o progresso da safra se manteve estável em 4% tanto na semana passada quanto na semana atual, indicando um atraso significativo em comparação com o mesmo período da safra passada, que registrou 10%. Esta variação negativa de 6% categoriza o progresso como atrasado.

Mato Grosso apresentou um aumento no progresso da safra, passando de 45,9% na semana passada para 55,9% na semana atual. Comparando com o mesmo período na safra passada, que registrou 0%, observa-se um avanço muito significativo, com uma variação positiva superior a 10%, categorizando o progresso como muito adiantado.

Em Goiás, houve uma leve variação no progresso da safra, aumentando de 71% para 72% na última semana. Comparado ao mesmo período na safra passada, com 73%, há um ligeiro atraso com uma variação negativa de 1%, classificando o progresso como normal.

Santa Catarina retornou ao seu progresso total de 100%, igualando-se ao mesmo período na safra passada. Na semana passada, o estado apresentava 98%, indicando um rápido avanço para completar o progresso da safra.

No Rio Grande do Sul, o progresso da safra aumentou de 84% na semana passada para 89% na semana atual. Comparado com o mesmo período na safra passada, que estava em 99%, o estado atualmente está atrasado, com uma variação negativa de 10%.

A análise é do meteorologista do Portal Agrolink, Gabriel Rodrigues com revisão de Aline Merladete com informações obtidas no boletim de Progresso de Safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)

 

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do A Notícia MT (anoticiamt.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site A Notícia MT (anoticiamt.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

image