29 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

CIDADES Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2022, 15:12 - A | A

Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2022, 15h:12 - A | A

ENTRETENIMENTO

Festival do Vinil de Várzea Grande vai reunir amantes e colecionadores do antigo "LP" e trazer de volta boas lembranças à geração X

Redação

Se você foi pré-adolescente ou adolescente nos anos de 1980, com certeza você ouviu e curtiu muita música boa e dançou bastante ao som de um Long Playing Record, ou apenas, LP. E mais, certamente o LP fez parte da lista de desejos de presentes de final de ano, nem que tenha sido de amigo secreto, de um parente próximo e até mesmo da sua lista. Mais: se você viveu essa época, com certeza aguardou ansioso pelo lançamento de muita trilha sonora de novela em LP. Grandes sucessos mundiais das músicas nacionais e internacionais saíram de aparelho de som, de um disco de vinil.

Hoje, os LPs representam nostalgia, acionam a memória afetiva e fazem parte de um entretenimento bastante particular. Se o retrô está em alta, a Prefeitura de Várzea Grande faz questão de entrar nessa tendência e despertar lembranças em quem curtiu os bolachões. No Brasil, entre os anos 60 e a primeira metade dos anos 90, todos os grandes sucessos, aqueles que lideravam as ‘hits parades’, saíram de Long Playing Record.

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

Os LPs foram para geração X grandes opções de presentes de Natal, de aniversário e de amigo secreto. Hoje, fazem parte de um passado; um passado gostoso, de excelentes recordações e que está vivo e presente. Nessa ‘vibe’ vintage é que surge o primeiro Festival do Vinil de Várzea Grande.

O evento, gratuito, tem como objetivo reunir as famílias, amantes do vinil e colecionadores, resgatar memórias e atrair novos fãs para música de vitrola. O Festival será realizado neste sábado, dia 10, das 10h às 18h, no 2º piso do Várzea Grande. Durante todo o dia seis DJs estarão se revezando na animação e colecionadores poderão fazer contatos, iniciar negociações, mas as vendas não estarão permitidas durante o Festival.

Será uma oportunidade de colocar em contato esses amantes do vinil que poderão, a partir de agora, estabelecer relações para compra, venda e troca dos LPs. O evento é uma realização da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Turismo (SMDETT) e do Várzea Grande Shopping.

Além de um espaço para venda, troca, conhecimento e exposição de acervos particulares, o Festival do Vinil vai trazer ainda mostra de aparelhos antigos que ‘tocavam’ os bons e velhos LPs. Entre eles, a vitrola e o famoso e ‘ostentador’ da década de 80, o som 3 em 1, que reproduzia o LP, tinha rádio e, em geral, dois toca-fitas cassetes.

Como explica a superintendente de Turismo da Pasta, Taiza Cristiane Akerley, o Festival vem justamente para isso, para resgatar sensações, memórias e apresentar o vinil para novas gerações. “Cada detalhe do Festival foi pensado com carinho para acolher as famílias. Está dentro do shopping para que a chuva ou calor não afugentem ninguém, está sendo realizado em um sábado e com apresentações de DJs. Comercializar produtos não é nosso objetivo, mas sim, intermediar as relações e criar oportunidades para pessoas que querem ampliar ou iniciar o próprio acervo. É uma opção gratuita de entretenimento e traz informação, conhecimento e aquele sentimento gostoso de nostalgia”.

O titular da Pasta, o secretário Charles Caetano, diz que o turismo de eventos é um dos objetivos da agenda do prefeito Kalil Baracat. "Colecionadores da Baixada Cuiabana e de cidades do interior do Estado como Rondonópolis, Jaciara e Sorriso já confirmaram presença. Dependendo do resultado podemos incluir o Festival no calendário anual de eventos de Várzea Grande".

O servidor e um dos organizadores do evento, Junior de Souza Nunes, lembra que várias gerações foram impactadas pelo sucesso dos LPs, mas na segunda metade dos anos de 1990, o Compact Disc, o CD, se popularizou e ganhou o espaço que era até então do vinil. “Hoje em dia, ter exemplares de vinil sem riscos e em perfeito estado é ter quase que um produto exclusivo, produto valioso em todos os sentidos, principalmente, em relação à memória afetiva”.

Durante o dia, seis DJs estarão se revezando na animação do evento: às 10h o DJ César abre a programação. Às 11h é o DJ Wilians, às 13h o DJ Rodriguinho, às 14h o DJ Joaquim Spadoni, às 16h o DJ Cleyton 7 e às 17h os DJs Dan e Cidimar.

UM POUQUINHO DE HISTÓRIA - No Brasil, o disco de vinil foi lançado comercialmente em 1951, mas só começou a suplantar o disco de 78 rotações em 1964, e dominou o mercado até 1996. A queda nas vendas dos chamados LPs começou de forma crescente, com o lançamento do Compact Disc, o CD, em 1984. Para se ter uma ideia, em 1991 foram vendidos 28 milhões de discos de vinil, cinco anos depois esse número caiu para 1,6 milhão e quase zero no ano seguinte.

As grandes gravadoras produziram discos de vinil até 1997, restando a partir daí apenas uma gravadora independente, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, que faliu no ano 2000. Os LPs perderam o valor e passaram a ser comercializados nos chamados sebos, a preços muito baixos.

Nos Estados Unidos, os discos de vinil nunca saíram do mercado. Em 2013, foram vendidos cerca de 5 milhões de cópias e, no ano seguinte, foi registrado um aumento de 53% nas vendas, o que representou cerca de 6% do mercado de música daquele país.

Com a recuperação das vendas de LPs nos Estados Unidos e na Europa, empresários brasileiros recuperaram, em 2009, as máquinas da gravadora de Belford Roxo e voltaram a produzir discos de vinil no país.

Com capacidade de produzir 28 mil LPs por mês, continua como a única empresa da América Latina. Mas, nos últimos anos, o preço do disco de vinil subiu. Hoje, um LP novo custa em torno de R$ 100. (Com Agência Brasil)

DOAÇÃO - O Festival também vai resgatar a solidariedade dos várzea-grandenses. Mesmo com entrada gratuita, os organizadores orientam para que cada pessoa que for participar faça a doação de um quilo de alimento não-perecível que será doado a um bairro da cidade. “Vamos mensurar o volume recebido e então avaliar qual o melhor lugar para se fazer a doação, ainda antes do Natal”, explicou Taiza.

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do A Notícia MT (anoticiamt.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site A Notícia MT (anoticiamt.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

image