17 de Junho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍTICA Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2023, 16:07 - A | A

Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2023, 16h:07 - A | A

OBRIGAÇÕES DOS SERVIÇOS

Rejeitado veto a dispositivo da lei que regula vacinação em estabelecimentos privados

Agência Senado

O Congresso Nacional rejeitou nesta quinta-feira (14) veto presidencial a dispositivo da Lei 14.675, de 2023, que dispõe sobre o funcionamento dos serviços privados de vacinação humana (VET 24/2023).

O dispositivo estabelece que compete obrigatoriamente aos serviços de vacinação colaborar na investigação de incidentes e falhas em seus processos e eventos adversos pós-vacinação (inciso VIII do artigo 5º da lei, que trata das obrigações dos serviços privados de vacinação).

O veto será encaminhado à promulgação.

Ao justificar o veto, o Executivo alegou que o dispositivo, agora rejeitado pelo Congresso, contraria o interesse público ao isentar a obrigatoriedade de investigação dos efeitos adversos pós-vacinação pelo setor privado.

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

“A proposta legislativa retira a obrigação de investigar efeitos adversos pós vacinação pelos estabelecimentos privados, limitando a atuação a uma atividade de colaboração no processo. Como consequência, reconhece-se a possibilidade de sobrecarga nas atividades de investigação, que ficariam exclusivamente a cargo dos órgãos públicos que compõem o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS)", sustentou o governo.

A Lei 14.675, de 2023, que teve origem no projeto de lei (PL) 1.403/2019, do senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), foi sancionada em setembro deste ano com apenas um dispositivo vetado.

A norma prevê que o responsável técnico pelo estabelecimento que aplica vacinas humanas deverá ter formação médica, farmacêutica ou em enfermagem. Também será obrigatório manter profissional legalmente habilitado para aplicar vacinas durante todo o período de atendimento.

Os profissionais envolvidos na vacinação terão que fazer treinamentos periódicos, e o estabelecimento deverá manter o registro desses treinamentos.

Os serviços de vacinação terão que ter instalações físicas, equipamentos e insumos adequados, preservar a segurança e a saúde do usuário e manter a qualidade e a integridade das vacinas, em especial das refrigeradas, inclusive durante o transporte.

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do A Notícia MT (anoticiamt.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site A Notícia MT (anoticiamt.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

image