17 de Julho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

AGRONEGÓCIO Quarta-feira, 03 de Julho de 2024, 10:43 - A | A

Quarta-feira, 03 de Julho de 2024, 10h:43 - A | A

CENÁRIO PREOCUPANTE

Primavera do Leste prevê queda de 20 sacas por hectare no milho

Recuo médio observado nos últimos três anos pode chegar a 21%, segundo o Sindicato Rural do município

Canal Rural

Produtores de milho em Primavera do Leste projetam uma queda de no mínimo de dez a 20 sacas por hectare, levando a produtividade média para cerca de 88 sacas por hectare nesta safra 2023/24. A projeção é em relação ao ciclo passado, contudo se comparar com as últimas três temporadas a redução pode chegar a 21%, segundo o Sindicato Rural do município.

O presidente do Sindicato Rural de Primavera do Leste, Fábio Busanello, comenta que inúmeros produtores no município relatam que o cenário da safra 2023/24 “é bastante desfavorável”.

“Temos um ano atípico. O produtor já vem desgastado da quebra da safra de soja, e muitos estavam com a esperança de recuperar parte desse prejuízo na safra de milho, o que não irá acontecer, pois a redução prevista é de dez a 20 sacas a menos por hectare em comparação ao último ano”, afirma Busanello.

A entidade relata ainda que analisando a região circunvizinha, representada por dez cidades produtoras, há uma perspectiva de queda está em torno de 9% quando comparado aos últimos três anos.

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

“A redução mínima de produção prevista para 2024 é de dez sacas por hectare, levando a produção média para 88 sacas por hectare. Isso resulta em uma redução de 21% na produção comparado aos últimos três anos. Apesar do aumento de 16,9% nas áreas produtivas em Primavera do Leste e um crescimento de 12,8% no volume de produção na região, a produtividade por hectare está caindo, enquanto o preço da commodity vem diminuindo desde 2022”, explica Busanello.

Em 2021, o preço médio da saca de milho era de R$ 58. Hoje, em 2024, a saca está em média R$ 36. “A conta não fecha!” exclama o presidente do Sindicato.

Além disso, os produtores ainda enfrentam altos custos de produção, aliados a um cenário político desfavorável. “Prova disso é o atraso no lançamento do plano safra”, finaliza Busanello.

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do A Notícia MT (anoticiamt.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site A Notícia MT (anoticiamt.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

image