29 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

GERAL Segunda-feira, 07 de Novembro de 2022, 09:18 - A | A

Segunda-feira, 07 de Novembro de 2022, 09h:18 - A | A

CARTEIRA DE ARTESÃO

Redeira conta sua experiência em eventos pelo país

Redação

Foi na infância que a várzea-grandense Jilaine Maria da Silva Brito, de 36 anos, aprendeu sobre a beleza do artesanato. Entre redes e tecidos, a artesã mantém viva a tradição passada de mãe para filha. Para alçar maiores oportunidades de sucesso, ela buscou a profissionalização e apoio do Governo do Estado, por meio da Carteira Nacional do Artesão, emitida de forma presencial, na coordenação do Programa do Artesanato da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT). 

Filha de redeira, Jilaine Maria aprendeu aos 12 anos tudo que sabe sobre artesanato. O pai agricultor e a mãe artesã mantinham o sustento de toda a família. “Quando minha mãe vendia uma rede, era só alegria, porque era a nossa principal fonte de renda, nos sustentou por muitos anos e, hoje, o trabalho do artesanato é o que também ajuda na manutenção das minhas filhas”, relata Jilaine. 

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

Atualmente, ela é presidente da Associação das Redeiras de Limpo Grande - Tece Arte, em Várzea Grande, uma organização composta por 45 mulheres artesãs, surgida há um ano.

“Temos uma cultura rara. Juntas, trabalhamos com um objetivo em comum – levar nossa arte para o mundo. O artesanato não é apenas um produto ou uma rede, é uma obra de arte. Quem adquire, pode presentear ou usar como decoração. É um pedacinho da nossa história, do nosso Estado. Valorizar este trabalho significa difundir nossa cultura e, ainda, ajudar com o sustento de nossas famílias, manter uma tradição, nossa identidade cultural”, ressalta a artista. 

Para Jilaine Maria o diferencial do artesão é sua marca - cada peça é individual. O artesanato, por ela produzido, é fruto da cultura regional mato-grossense, um retrato do Pantanal e de seus símbolos - como as araras, os tucanos e os tuiuiús. "Nossas redes e nossa arte destacam estes símbolos e nossa cultura", destaca.

Além do trabalho desenvolvido na Tece Arte, a artesã empreende no ramo da costura. O novo talento foi descoberto durante a pandemia, quando precisou inovar, para fugir da crise, conseguindo uma nova fonte de sustento para sua família.

“Com as vendas online, o Ateliê Jilaine Maria foi criado. Sozinha, comecei a produzir, sob encomenda, máscaras, bolsas, camisas personalizadas e aventais decorativos. Atualmente, como presidente da associação e dona do próprio ateliê, preciso conciliar viagens e participações em eventos com a produção do ateliê”, explica.

Participação em eventos

O incentivo do Governo do Estado ao artesanato mato-grossense, por meio da Sedec, Secretaria Adjunta de Turismo (Seadtur) e parceiros, tem colocado Mato Grosso em evidência. Segundo Jilaine, a Carteira Nacional do Artesão permite o acesso do artesão a novas e grandes janelas de oportunidades, como exposições e feiras (nacionais e internacionais), colocando seus produtos nas principais rotas de negócios do país e no exterior.

“Participar destes eventos é uma oportunidade única para conhecer de perto outras culturas. Ter acesso a novas tendências e fechar bons negócios A carteira do artesão é um passaporte para estas novas oportunidades”, afirma Jilaine, acrescentando que já participou de grandes eventos, como a Feira Nacional de Artesanato e Cultura (Fenacce), em Fortaleza, e, por duas vezes consecutivas, da Feira de Artesanato da América Latina (Fenearte), em Pernambuco. 

“É gratificante ver o sucesso de suas peças. As pessoas querem saber como são produzidas, querem entender o processo. Ficam encantadas, quando explicamos. O mundo atual é tecnológico, tem sempre alguma máquina na produção, enquanto a gente faz tudo à mão. Somente quem produz, conhece as dificuldades e os desafios do artesanato. Quem desejar seguir na área, precisa ser um apaixonado pelo que faz", destaca Jilaine. 

Cadastro
O Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (SICAB) é responsável pela emissão a Carteira Nacional do Artesão, a identificação do artesão, válida em todo o território nacional e tem validade de 6 (seis) anos. 

O cadastro no SICAB e a emissão da Carteira Nacional do Artesão são realizados pela Coordenação de Artesanato (CEA). Com o apoio do Governo de Mato Grosso, a Coordenação do Programa do Artesanato, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec MT), recebe os dados e emite a Carteira Nacional do Artesão para os profissionais mato-grossenses.

 

Vantagens e Benefícios
Os benefícios d a Carteira Nacional do Artesão são a participação em exposições e comercialização de produtos e peças em eventos e feiras (nacionais e internacionais); participação de oficinas e apresentações; emissão de nota fiscal e isenção de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços); geração de trabalho, ocupação e renda; além de conhecer de perto outras culturas e artesãos, aprender novas técnicas, compartilhar e trocar experiências e, ainda, apresentar ao mundo a cultura mato-grossense.

O cadastro, emissão e renovação da Carteira Nacional do Artesão é presencial, na Sedec/MT, localizada na Av. Getúlio Vargas, 1.077, bairro Goiabeiras, em Cuiabá; ou online, pelo e-mail da Sedec. Os interessados precisam dos documentos pessoais, comprovante de residência e uma foto 3x4.

Tel: (65)3613-9324
E-mail: [email protected]

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do A Notícia MT (anoticiamt.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site A Notícia MT (anoticiamt.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

image